31 agosto, 2006

│unlisted wishlist # 4│



somewhere, over the rainbow,
way up high,
there's a land that i heard of
once in a lullabye.

somewhere, over the rainbow,
bluebirds fly.
birds fly over the rainbow,
why, oh why, can't i?

someday i'll wish upon a star
and wake up where the clouds
are far behind me.
where troubles melt like lemon drops
away above the chimney tops
that's where you'll find me.

somewhere, over the rainbow,
bluebirds fly.
birds fly over the rainbow.
why then, oh why, can't i?
if happy little bluebirds fly
above the rainbow
why, oh why, can't i?

15 agosto, 2006

│lua nula│


no ventre a bestial vontade de uivar até à morte.
cinco dias.

│neverending tender│

a infância dos corais,
de sonho em sonho,
desce as estrelas
desdobra o mar atrás das nuvens
com o nascimentos dos dias na mão
e o segredo que procura
espreitando pela iris do seu coração interminável.

és, no céu, ave rara
que voa nas páginas do segredo das estrelas.

14 agosto, 2006

│arabesco│





para uma criança morrer
absoluta e cadáver
dão-lhe o inferno para crescer
chamam destino ao que a morte cria
e noite à verdade dos dias
tiram retratos que a morte desfoca
e permitem que se passe entre os mortos.

ninguém se levanta dentro do seu próprio coração.
ou da minha janela não se vê mais nada.
ouve-se o silêncio contra mim
e chove a morte contra os vidros.

ardiam cidades no meu sono
até que o mar queimou o mar
e nada passou a ser tudo.

pedro sena-lino
let's pretend, by tindersticks

12 agosto, 2006

│kaï│





:: precioso búzio alga dócil cristalina mão ::

│o.dor│



eu vou ganhar raízes... e tu?...

11 agosto, 2006

│câmara escura│



passo horas aqui, neste cubículo umbroso e húmido. finjo ver através do corpo que é a alma e do mistério maior que é o tempo. tenho tempo para conjecturar. tempo entre clientes.

tenho tempo nas pausas que fazem. longas pausas, monólogos maiores. visitam-me para falar. sou o fundo do poço onde segredam, inclinados. as pessoas falam, emendam-se ao falar, consertam-se. revelam-se prontas para a luz. saem para a luz como se nunca voltassem à sombra.

eu próprio dou longos passeios junto ao mar, à flor da luz... tenho pena de não saber nomear as aves. aquele pássaro de sombra. ave de arribação entre a culpa e o desejo, em que poço bebes? em que poço bebo eu?

estou aqui, sempre. é difícil lembrar o mar, aves, estrelas, e outros exageros. chegam-me antes as histórias de quem as visita. aparecem-me do negro, como em negativo.
continue, por favor. prometo ouvi-lo. prometo não me esquecer de si.

alguns tentam aprender a odiar. à beira de um abismo, de um poço em que cada fiada de pedra é um ano de vida. por vezes sabem coisas em que eu nunca tocarei. gritam. rezam. e sem haver deus. e fazem silêncios enormes que me doem no estômago. há coisas que não cabem em nós. é preciso aguentar, esperar que passe. e tudo passa, não é verdade?

o meu criador é a Vergonha Enorme, aquela mão que ilude. no meu teatro anatómico amontoam-se frascos de vidro. órgãos que não serviram, partes, promessas boiando em formol. assim se encontra o coração de um tímido.

escondo-me da minha própria história, porventura.

duvido muito. recomeço sempre. também é essa a minha história. raramente sinto a presença. tenho a confiança mas duvido. suspeito que a ordem do mundo seja perfeitamente insondável. neutra.

tenho dias. imagino o que seria ter grandes conselhos para dar. instruções de voo. como planar sobre a cidade. ultrapassar os cabos eléctricos. cuidados a ter com o fogo das estrelas.

sermos só mais um ponto no céu da noite.


francisco sousa lobo

10 agosto, 2006

│coração de arame│


(desenho de josé carlos fernandes)

seria, de novo, chuva, argila, repouso do ser no ser,
o vento que me abre os braços
e me mostra a folhagem do céu.

09 agosto, 2006

07 agosto, 2006

│unlisted wishlist # 3│




dormir numa árvore
e no ritmo do vento perder a morte.

hymn, by moby

02 agosto, 2006

│unlisted wishlist # 1│



o desejo de regressar ao estado inorgânico.

gorecki, by lamb.

│sospensione│




estou crescendo numa pedra
com esta pequena centelha quero incendiar o silêncio
o que amo não sei.
amo. amo em total abandono
algo ainda não é flor em mim.
sou alguém que espera ser aberto por uma palavra.

ramos rosa
the air i breath, remixed by kid loco.