22 novembro, 2006

│quatro cantos│



porque há dias em que basta um ápice de realidade, de pessoas no metro, da maquinaria do quotidiano, até mesmo do sucesso da viagem do homem à lua, da amálgama violenta do mundo, da vida dos milhões de pessoas que se mexem no mundo, para dissolver o nosso microplaneta apocalíptico íntimo que erroneamente julgamos ser tudo o que existe.

e há outros que não.




golden cities, by lisa germano.

7 comentários:

rosa disse...

és brilhante.
e... nao tenho o hábito de retribuir visitas bloguistas, como se fosse uma retribuiçao, ou um toma-lá-dá-cá, mas realmente gosto imenso deste teu espaço.
semelhanças, afinidades, coincidencias, gostos, nao sei. sinto-me bem "aqui".
folha adocicada

imo disse...

inumerável...
obrigada.

Careca disse...

Um gesto que bate em saudades, no canto da memória onde se guardam histórias bonitas.
Um gesto.

imo disse...

gestos recolhidos em moradas de silêncio, para inextinguir o canto da memória.
:)

Rui Ribeiro disse...

A minha visão do concerto de 29 de Novembro em Braga e fotos no Som Activo. Boas leituras!

imo disse...

obrigada, rui.
vou adoptar a tua página :)

Luis disse...

sim há dias que existem

outros não