23 junho, 2007

│interrupção involuntária da altivez│





a asa é uma grande mão deformada, com os dedos pendentes, uma mão partida e inerte.

anjos plenos da intenção de voo, corpos de cor que erguem com eles a tela. parecem sempre prontos a sair. e depois vêem as palavras como machetes, cutelos, foices, que lhes quebram o desejo. e ficam anjos feridos. tal como perdizes, com um chumbo na asa, arrastam-se aos tropeços, tentando o equilíbrio e recaindo na ferida.

os anjos vieram morrer todos a esta casa, mas não os anjos alemães, que eram louros, altos e fodiam uns com os outros a limpa foda ariana. uma madrugada, desceu para eles outro anjo mais implacável, levou-os nus para o jardim e metralhou-os contra um fundo plácido de montanhas: o eco dos tiros devolvia ao amanhecer o silêncio pastoril.

rui nunes.

6 comentários:

rosa disse...

e depois ele... o meu anjo maior.

antony.

rosa disse...

dificil post, este.

como cada vez acho/sinto mais dificil a bjork.
voz demasiado cristalina. unica. calculada. isenta. limpa.

e o texto?...anjos louros, limpos, palavras partidas. desnudadas.

gostei à brava!!!


;)

Rodrigo disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.

imo disse...

bjork não me é potável.
antony torna esta música (a única que consigo ouvir da senhora)
um sopro
que não julgaria possível.
difícil este post, sim,
como me é difícil bjork,
mas como tenciona somas outras.

obrigada, rosa :)

beija-flor disse...

Acabei por tropeçar por aqui e adorei! Parabens pela fusão de imagens e palavras..
Quero voltar a tropeçar neste espaço!:)

imo disse...

obrigada, beija-flor.
daqui a algum tempo talvez continue este espaço, em outros moldes, e com outros conteúdos.

bem-hajas.