15 agosto, 2006

│neverending tender│

a infância dos corais,
de sonho em sonho,
desce as estrelas
desdobra o mar atrás das nuvens
com o nascimentos dos dias na mão
e o segredo que procura
espreitando pela iris do seu coração interminável.

és, no céu, ave rara
que voa nas páginas do segredo das estrelas.

1 comentários:

Anonymous disse...

tão bom revisitar a infância...
era eu pequenina e sonhava fazer assim voos rasantes pelas nuvens marfim, ladeada por montanhas e um mar cristalino bem lá em baixo...
oh, uma estória interminável :)