31 dezembro, 2006

│ortopedia│





uma luz engelhada faz doer.
com os segundos as horas deixadas para trás
a mão aberta ao rosto lembra como inteiramente ser.
os anos aperfeiçoam a arte de caminhar pelos telhados.

guardam um poder mais forte
as mãos que não se deixarão fechar.

5 comentários:

(in)tacto disse...

as mãos deixadas ao acaso na
avidez de dedos afinados.

guardas o silêncio no olhar
em equilíbrios de sombras,

pé ante pé

com 'a arte de caminhar pelos telhados'.

imo disse...

o deixado para trás
o melhor equilíbrio
na sombra que é
caminhar pelos telhados.

há mar e lar
há ir para não voltar.

pelo privilégio da tua amizade.

(in)tacto disse...

:)

sim, 'ir para não voltar'...
ir sem as voltas que volteiam desafinadamente o coração.

lar-amizade*

rosa disse...

a musica.... esta voa.

imo disse...

asas que se tiram da gaveta.

│the end│

perdeste o nome como eu há muito perdera a infância. trying to stay awake noite turva pelo tamanho do medo and remember my name tentando lu...