28 fevereiro, 2007

│endoderme│






sendo em definitivo pedra. rochosa.

se puder escolher, tentarei ser um grande rochedo no meio do mar, para continuar a recolher a tristeza dos que se vêm sentar a olhar a sua vastidão, por horas esquecidas. os dias e as noites em melancólica sucessão, sol levantando e caindo ao redor, com uma lentidão informulável, e talvez pudesse interrogar a um velho marinheiro que rota escolhem as longínquas aves salinas. talvez pudesse sonhar, com a exactidão de um velho marinheiro, essa inacessível rota do mar.

sendo em definitivo poderosamente só. se puder escolher.

5 comentários:

(in)tacto disse...

.


silêncio


.

imo disse...

...

rosa disse...

"O velho pescador era magro e seco, e tinha a parte posterior do pescoço vincada de profundas rugas. As manchas escuras que os raios do sol produzem sempre, nos mares tropicais, enchiam-lhe o rosto, estendendo-se ao longo dos braços, e suas mãos estavam cobertas de cicatrizes fundas, causadas pela fricção das linhas ásperas enganchadas em pesados e enormes peixes. Mas nenhuma destas cicatrizes era recente.

Tudo o que nele existia era velho, com exceção dos olhos que eram da cor do mar, alegres e indomáveis."

rosa disse...

perfeito.

imo disse...

/profundas rugas/
/enchiam-lhe o rosto/
/cicatrizes fundas/
/olhos da cor do mar/
/indomáveis/

divisões das moradas de silêncio.

│the end│

perdeste o nome como eu há muito perdera a infância. trying to stay awake noite turva pelo tamanho do medo and remember my name tentando lu...